terça-feira, 10 de outubro de 2017

Gatos, crianças e despedidas. Sobre sempre falar a verdade

Um gato e uma menina que me ensinaram sobre aceitação, desapego e veracidade.


Eles chegaram, os 4 irmãos, e logo viraram a novidade da casa. 
4 gatinhos de 3 meses, sapecas, dóceis, lindos. Lara se encantou. “Posso ficar com o amarelinho mamãe?”. Eu deixei. Na verdade eu sempre quis ter um gato, desses que ficam dentro de casa, dormem no nosso colo, nos fazem companhia no sofá. Quando criança era comum eu resgatar gatos na rua e levar para casa, mas nunca podia ficar com eles. Frequentemente as "visitas" ficavam por uns dias, eu cuidava e achava um lar para eles. Continuei fazendo isso até a vida adulta, mas nunca tinha tido um gato para chamar ‘meu’.

Aquele loirinho de olhos amarelos nos conquistou! Lara o amassava, beijava, apertava, dizia que amava. Chegava da escola e já ia perguntando “cadê o gatinho”. Quando o via sorria e dava pulos de alegria. Eu até tive que incentivar ela a dar um carinho extra pro cachorro, pra ele não ficar de escanteio. O gato era tudo! Com certeza seria um companheiro para nós! 

Então eu adoeci. Alergia a gato. Tentamos medidas de contenção, não pegar muito nele, proibir certos cômodos da casa, pentear, aspirador de pó.. Eu só piorava. A Alergia virou uma bronquite asmática. Eu nunca havia tido isso na vida. Teste sanguíneo pra rastrear a alergia, valores: 9,7 (acima de 3,5 considerado reação alta). 

Nosso coração, meu e do meu marido, pesou de tristeza, o gato teria que ir embora. “Mas e a Lara?”. Tínhamos medo da decisão, de contar pra ela, de magoá-la. Que arrependimento ter ficado com o gato! Os outros 3 foram com facilidade, mas agora ela se apegou ao “dela”. Como lidar com isso? Como evitar que minha filha sofra? --  Quando somos pais, queremos proteger nossos filhos do sofrimento. Sentimo-nos culpados por agora fazer ela passar por essa perda do gatinho.

Mas tudo na vida é aprendizado, e eu decidi encarar mais esse. Quando tempos atrás escolhi fazer um desmame noturno, o fiz pensando que eu precisava dizer SIM para mim, e que isso implicaria em alguns NÃOS a minha filha. E ao fazer isso eu também estaria ensinando ela que ela também tinha o direito de dizer não ao que ela sentia que passava do limite dela. 
Com o gato me senti na mesma situação. Eu não podia viver doente por causa dele, então mesmo que fosse dolorido para ela, eu precisava tomar essa decisão, e tentar transformar isso num aprendizado.
Muitas vezes nos deparamos com situações que remontam à nossa infância. Quando eu tinha 5 anos nós cuidamos de uma gatinha perdida durante 1 mês, eu me apeguei muito a ela, e um dia, voltando da casa da minha avó, cheguei em casa e ela não estava mais. Meus pais haviam doado ela, e por anos aquela memória me machucou. Então eu sabia que a primeira coisa que eu precisava fazer era permitir que a Lara participasse da despedida do gato.

Preparei o terreno por uma semana. Expliquei para ela o que era alergia, e que com a mamãe doente a mamãe não conseguia brincar com ela, que a mamãe ficava fraca, que não era legal ficar doente. Expliquei que era o gato que me deixava doente, mas que ele NÃO tinha culpa disso, que era um gato bonzinho e amado.


Então um dia tomei coragem e expliquei que o gato teria que ir embora, que ele ia morar em outra casa, e outras pessoas muito legais iam cuidar dele. Contei que na outra casa haveria um menino da idade dela que ia brincar com o gatinho, e eles seriam felizes juntos. 

O semblante dela mudou, ela parou pra me ouvir com seriedade. Ela entendeu a veracidade das minhas palavras. Desabou em um choro de lágrimas e soluços no meu colo. “Eu gosto muito do gatinho” – “Eu sei filha, eu sinto muito” – “Mas e se ele morar lá fora com o cachorro?” – “Mas e se você for num médico?”. E chorava!! Fiquei com o coração pequenininho, no meio do choro ela ainda tentava buscar argumentos que me convencessem que era possível ficar com o gatinho. Foi um choro sentido, por mim, e principalmente por ela, mas era inevitável, só me restava acolher. Mais tarde, no mesmo dia, ao sair de casa ela encontrou o gatinho e exclamou “oooownnn gatinhooo” e pegou ele no colo e abraçou.


Nos dias que se seguiram eu a lembrava as vezes que logo o gatinho iria embora, para um lugar onde cuidariam dele, igual aconteceu com os irmãos dele. Ela ficava triste por um momento, e passava. 

Algumas pessoas preferem inventar histórias sobre o que acontece, histórias que amenizam a verdade, tentando proteger a criança. Mas eu acredito que as crianças percebem,  é melhor falar a verdade, mesmo questões dolorosas, como a morte por exemplo. Crianças não precisam de grandes explicações nessa idade, mas precisam da nossa veracidade e acolhimento, e eu poderia dar isso a ela. Seria muito mais complicado elaborar uma fantasia para o sumiço do gato, e eu sabia, por experiência própria, que isso geraria um vazio não finalizado no coração dela.

Combinei com quem ia adota-lo que eu o levaria junto com minha filha, pois ela queria ver onde ele ia morar e eu achava importante essa despedida. Ela estava preocupada “o menino que vai ficar com ele não vai saber que o nome dele é Arthur!” – “A gente vai lá contar pra ele Lara”. E assim procedemos. Não fiz disso um grande evento, mas também não tratei como uma eventualidade. A preparei para partirmos e entramos no carro. Eu, ela e o Arthur, que se soltou da gaiolinha e acabou indo solto no carro.

Como todo gato, ele odeia andar de carro. Miava desesperado, olhava pela janela, miava um miado choroso. Lara estava curiosa com a situação, observava atentamente o comportamento dele, e fazia carinho nele quando ele se aproximava. “ôoo Arthur não precisa ficar assustado" - ela o consolou “... não precisa ter medo, você vai morar numa casa legal, vão cuidar bem de você lá”. Meus olhos encheram-se de lágrimas. Quanta sabedoria infantil! Senti tudo que ela, no auge de seus 3 anos e 3 meses, me ensinou sobre desapego, sobre despedidas, sobre a importância de falarmos sempre a verdade.  

Foi importante os dias de preparação, o choro, o luto sentido. Houveram vários momentos de choramingo dela “eu vou sentir muita saudade dele” L. Ao entregarmos o gatinho para seu novo dono ela espontaneamente falou “Oi , Eu sou a Lara, esse é o Arthur, ele é muito bonzinho”. Ficamos um pouco por lá e ao sairmos do apartamento ela simplesmente soltou de longe um “Tchau Arthur” e voltamos para casa. Todo aquele drama que eu temia não aconteceu.

Nesse dia eu reforcei em mim a convicção da importância de nunca ludibriarmos as crianças com meias verdades ou histórias maquiadas para amenizar um medo NOSSO de magoa-las. De forma infantil podemos transmitir a verdade, e aprender com elas sobre essa capacidade incrível que elas têm de compreensão e adaptação.

Aprendi que meu medo de partir o coração dela ao fazer uma escolha por mim, era mais um medo meu do que um problema real. Nas escolhas difíceis surgem grandes aprendizados. Teve choro, mas teve muito crescimento e carinho, e assim nossas crianças crescem se sentindo respeitadas.
Antes eu me arrependia de termos acolhido o Arthur, hoje vejo como um capítulo necessário no nosso aprendizado. Obrigada Arthur pelos 4 meses que passaste conosco! Você foi muito amado pela Lara!


terça-feira, 12 de setembro de 2017

101 Vídeos sobre Gestação, Parto, Maternidade e Assuntos Femininos!

Em comemoração aos 5mil inscritos no meu canal de YouTube 
(https://www.youtube.com/user/Alaya7) eu resolvi criar um índice para facilitar o acesso aos assuntos! Que surpresa descobrir que foram 101 vídeos! Se inscreva!!

Eu gosto de considerar meu canal de vídeos como uma espécie de "mídia independente". É algo que faço por prazer, amor; por vontade de dialogar e repassar a informação. Para quem não sabe, antes de me formar como acupunturista e doula, eu fiz mestrado em Filosofia. Eu gosto de levantar reflexões, eu gosto de estudar. 
Sou muito feliz com minha prática no consultório, atendendo individualmente cada pessoa e cada caso. Também me realizei muito nos partos que já acompanhei. Mas eu precisava de um canal de comunicação mais aberta! Por muitos anos estudei filosofia, sou filha de professores, para mim ter um canal era uma questão de sobrevivência interna!

E foi assim que ele surgiu! Com vontade, com amor! Eu nunca havia gravado um vídeo na vida! Eu nunca tinha aberto um editor de vídeos! Não sabia nada sobre enquadramento, luz, roteiro. Fui aprendendo na marra, errando e acertando, e sei que ainda tenho muito a aprender! Não tenho equipe, não tenho diretor de marketing, não tenho editor. É apenas eu e minha câmera, e a vontade de gravar, a vontade de falar! 


Agradeço a todas e todos que me acompanham, me incentivam, me criticam, me fortalecem, me compartilham! É um carinho enorme e uma satisfação tremenda poder receber tantas mensagens e sentir que o canal de comunicação está funcionando. Obrigada por me incentivarem com as curtidas, compartilhamentos e comentários de vocês! Estou sempre tentando melhorar! 

Se gostarem de algum vídeo, compartilhem com as amigas!
Por enquanto os temas do Índice estão divididos entre Parto e Gestação, Cuidados com o bebê, Criação de Filhos, Amamentação, Introdução Alimentar do bebê, Saúde e Assuntos Gerais.
Espero que gostem!! E deixem sugestões se quiserem!

Índice de Vídeos YouTube

A - Parto e Gestação

1- Você sabe o que é Parto Humanizado? https://youtu.be/eKq8fa2gfu4
2 - Estou Grávida e agora?!
1º Trimestre, emoções, exames e sintomas - https://youtu.be/owkAScpJjsg

3 - Data Provável do Parto | Semanas x Meses https://youtu.be/vznOlk0DQkE

4 - Berçário no hospital?! Melhor não! A 1º hora de vida do bebê - https://youtu.be/Gi9tz9ZqKgw

5 - Grávida pode pintar o cabelo?! - A doula conta https://youtu.be/YQnlnVHmOX8

6 - Meu Relato de Parto - Parte 1 - Em casa tá tudo bem, fase inicial do trabalho de parto.  https://youtu.be/qd0MYSwx23E

7- Meu Relato de Parto - Parte 2 - Tá dando tudo errado... https://youtu.be/SZCgAonPO_w

8- Meu Relato de Parto - Parte 3 - Hospital, Cesárea e Recuperação https://youtu.be/AYeda8UhF-s

9 - Vídeos de Parto - Inspiração ou Romantização? https://youtu.be/6lmB1Q4a8R0

10 - DOULA - O que é? O que faz? Pra que serve? https://youtu.be/7qiGvSpXDg8

11 -Cursos de Gestante - BEBEDUBEM SJC - Preparação p/ Parto https://youtu.be/ZAXnrIXA0tc

12 - Comentando o parto da Flavia Calina; Interferências no ambiente de parto e os hormônios. https://youtu.be/qf-oidfnqLA

13 - E a dor do parto?! https://youtu.be/IjxewyoYl2E

14 - Toda Mulher Sabe Parir - Todo Bebê Sabe Nascer! (??) Será?! (Ironia) https://youtu.be/7tPaXd1-Gog

15 - Partaço x Fracasso - E a mulher que precisou de uma intervenção? https://youtu.be/S2B3dhyR_lU

16 - Afinal, o que é e pra que serve Plano de Parto - [Hangout ao vivo] https://youtu.be/5ttbfPXpuL8

17- "Quero parto normal. Mas não desses humanizados... https://youtu.be/hrquLrYUTiY

18 - Parto normal deixa a vagina frouxa?! https://youtu.be/zuVqsI8AkPw

19 - Exame de toque - Colo grosso, sem dilatação! https://youtu.be/0mw0OtGxkn4

 

 B -Criação dos Filhos

1 - Meu 1º ano como mãe - o que aprendi?! https://youtu.be/pXc-JDyS1Zk

2 - Como escolher a escola pro bebê - Dicas pra hora de ir pra creche https://youtu.be/boqbpZx2a8g

3 - Você rotula seus filhos? Quem serão quando crescerem? https://youtu.be/gl3xubiIGVk

4 - Quarto da Lara - 2 anos - montessori https://youtu.be/neHp7Yy9DA0

5 - Aniversário 2 anos - Festa Vegetariana e Caseira https://youtu.be/draYH0DBNPk

6 - "Mamãe fica triste quando você faz isso" - Educação Positiva – Birras https://youtu.be/i0ZpcwmsgGc

7 - 5 vezes que paguei a língua na maternidade https://youtu.be/5i9QWRlJsco

8 - Fim da cama compartilhada; Dormir na própria cama https://youtu.be/jUv1Q0OWhNM

9 - Dormir na avó - Segurar o Xixi https://youtu.be/hH-ITSPvmQ8

10 - Ensinando as Emoções; dica de livros. https://youtu.be/u-oCcLhiaMk

11 - Deixa a criança se sujar!! Imunidade e bactérias https://youtu.be/AroqHrRBV3k

12 - Desenhos - Tirei a TV por 2 semanas e veja o que aconteceu! https://youtu.be/ijyLBHHyvlY

13 - 15 Desenhos Infantis que nós gostamos! https://youtu.be/7M80A_sepoA

14 - Quarto de menina 'grande'. 3 anos https://youtu.be/a2SScxuunDo

15 - Autonomia - Desenvolvimento da criança 0 - 3 anos  https://youtu.be/m5fBYc--CsA

16 - Um Tapinha não dói? O que a Palmada Ensina. https://youtu.be/ugZPRUJRfw4

17 - Parte2 - Estratégias para Educar sem Bater https://youtu.be/NvITQurTMgU

  

C - Dicas gerais pra bebês


1 - A Cólica do bebê e por que não dar chás e água - https://youtu.be/bbnjokwbUzY

2 - Furar orelha do bebê e Acupuntura https://youtu.be/KlfcVbbKQXw

3 - Lara 1 mês e meio, banho de balde https://youtu.be/FSNm81hozhw

4 - Enxoval (parte 1) - O que o bebê precisa? - Roupas e alimentação https://youtu.be/8rOv6z13OlU

5 - Enxoval (parte 2) - itens de banho, higiene e utilitários https://youtu.be/IG2Bw6v7Qh0

6 - Por que dormir com o bebê? Cama Compartilhada https://youtu.be/0blztKVNzQc

7 - Andador - usar com o bebê ou não?! https://youtu.be/9InjTUwlmKg

8 - SLING -Arte de carregar bebês com pano - Entrevista TV https://youtu.be/Bf8e1Ol21JI

9 - CHUPETA (P.1) Fase Oral do bebê. Necessidade de Sucção https://youtu.be/ftenauDq6l4

10 -CHUPETA (P.2) mamadeira - chupar dedo. E a confusão de bico? https://youtu.be/Mgc4wj-m8VI

11 - Pronto Socorro - Quando levar o bebê ao PS? E a Febre? https://youtu.be/ZOTd7B59dRg

12 - VACINAS Você vai mesmo vacinar seu bebê?! https://youtu.be/PGIKmpJr0QU

13 - Fralda de Pano Moderna - 2 anos usando. Dicas. https://youtu.be/FFyZriHwjEM

14 - Fralda de Pano - Demonstração prática https://youtu.be/bfBm8C4sta0

15- Sexagem fetal e aparelho de ouvir o coração - Vale?! https://youtu.be/yjdwiBp_tdg

16 - Qual pomada pra assadura é melhor?! https://youtu.be/mOqs2U5LS7I

17 - Acne Neonatal - Dica para tratar! https://youtu.be/JRVWNYsg9wU

18 - Desfralde - No tempo da criança https://youtu.be/1Z1iGSBFNlY

19 - Saia com o bebê! Maternidade não é prisão domiciliar https://youtu.be/ySff3d8zb8g

 

D - Amamentação

1- Como se preparar para amamentar? Bucha no seio? https://youtu.be/edhbCkbCmjE

2 - Tudo (ou quase) que você precisa saber sobre amamentação! Dificuldades https://youtu.be/ykfpeZKMYVU

3 - Posso tomar esse remédio e amamentar?! https://youtu.be/gxYefzj9Grk

4- Hiperlactação - Coisas engraçadas que não contam sobre amamentação! https://youtu.be/pxitR6gtXLM

5 - Amamentação Prolongada - Depois dos 2 vira água?! https://youtu.be/StuKU3OS3I4

6- Não aguento mais amamentar!! - Desmame gradual e perturbação https://youtu.be/xfqZSeYQ4wY

7 - Desmame Noturno - 1 coisa deu certo! Já o resto.. https://youtu.be/L_yceGTUNxE

8 - Desmame Gentil - Passo a passo de um desmame gradual. https://youtu.be/yCrxFoHyFbE

9 - Desmame O FIM - O Leite Acabou!! Relato de como foi na prática desmamar! https://youtu.be/O9Xg8jPILjI

 

 E -Introdução Alimentar 

1 10 dicas p/ Introdução Alimentar de Sucesso com seu bebê! https://youtu.be/kNvpZZ0chow

2 - Introdução alimentar - bebê de 6 meses comendo pelo método BLW https://youtu.be/_JKd9udxCe0

3 - Meu bebê não come - Introdução Alimentar 6 meses https://youtu.be/viScAShIFLw

4 - Suplemento de FERRO para o bebê - Precisa?! https://youtu.be/ZCuNJDVXqvY

5 - Leite vegetal para bebês veganos. 0 a 6 meses, e agora? https://youtu.be/zw73SNeGtQM

6 - BLW - introdução alimentar do bebê de forma livre (sem papinhas) https://youtu.be/nuYafKP-y5E

7 - Lista de Alimentos p/ I. Alimentar -bebê até 12 meses https://youtu.be/793LV09w2MQ

 

 

F - Assuntos Gerais

 

1- Coletor Menstrual - o "copinho" que vai mudar sua menstruação. https://youtu.be/KwuY50orlVM

2 - Pós Parto - Puerpério - Aspectos emocionais da maternidade https://youtu.be/gzo_ilSSOPE

3 - Menstruação Tabu e Autonomia Feminina https://youtu.be/WWvY7xnzeHM

4 - O Coletor menstrual pode fazer mal? https://youtu.be/4gPjZ-DLF30

5 - Estupro - As mulheres tem medo. E os homens? Indiferença. https://youtu.be/xVnLczSRArI

6 - Ser mãe é uma viagem! https://youtu.be/uBttucRlzns

7 - [Maternidade] - Cinta pós parto - Queda de Cabelo - Comprar roupas https://youtu.be/TLJWjqQYqO8

8 - [Maternidade] Não quero ter outro filho! https://youtu.be/QZ2iSWsWnjs

9 - DIU - Mirena e Cobre - Tudo que você precisa saber! https://youtu.be/Tx5YCuWb334

10- Sintomas de Depressão que muita gente não sabe que é! https://youtu.be/WIcefmhG_4U

11 - CABELO - transição capilar, cachos  https://youtu.be/BMrSSkmrllM

12 - PSICOLOGIA - 5 Feridas Emocionais da Infância - Entrevista com Fernando Aguiar (Legendado) https://youtu.be/SIXw6LcQBjU

13 - VIAGEM Você conhece esse paraíso?! - Barra Grande - Bahia (Península Maraú) https://youtu.be/E2nJtx_cvCs

14 - Lara - 1º ano do bebê - Melhores momentos. https://youtu.be/WwqSvSjZJQ4

15 - A família cresceu! – Castração de animais! https://youtu.be/u7rY5KQrE3c

16 - Sobremesa gelada saudável https://youtu.be/8YjINJbez4E

17 - Danoninho saudável - sem leite e sem açúcar - https://youtu.be/LKz2LF8ETrY

18 - O cachorro e a bebê https://youtu.be/ndzIb8cSl60

19 - Receita Xarope expectorante - Medicina Chinesa https://youtu.be/Uh1Mwt_b9W4

20 - CABELO Ruivo - Preparando e Aplicando Henna no cabelo pela 1ª vez https://youtu.be/4da9aKHRB0c

21 - DICA saudável - Comprinhas no site da Zona Cerealista https://youtu.be/16vmvzdwriw

22 - Como eu faço "leite" vegetal (de aveia e castanhas) https://youtu.be/ZdWoQLK9eS8

23 - GRAVIDEZ - Bebê mexendo as 35 semanas https://youtu.be/a_B_PupL_1A

 

  G - Parto Domiciliar

 

1 - Parto Domiciliar (Parte 1) - O que é? Histórico https://youtu.be/X6epjyE_Cdw

2 - Parto Domiciliar (Parte 2) - Quem pode ter? - Polêmicas em torno do assunto https://youtu.be/D28UGByGjaA

3 - Parto Domiciliar (Parte 3) - O que dizem as pesquisas cientificas? Evidências https://youtu.be/E5AxyKBb59k

4 - Parto Domiciliar (Parte 4) - Enfermeiras, Médicos, Doulas. Quem está no parto? https://youtu.be/yWSb3KkRQ70

5 - Parto Domiciliar (Parte 5) - Esterilizar a casa? Que material a equipe leva? https://youtu.be/QLADfWTg7Ms

6 - Parto Domiciliar (Parte 6) - E SE acontecer alguma coisa? Plano B https://youtu.be/gujLJaukcys

7 - Parto Domiciliar (Parte 7 - Final) - Por que ter um PD? Registro, Vacinas e Irmãos https://youtu.be/EucVjiMRYwA

 


 

sábado, 9 de setembro de 2017

Maternidade à lá brasileira (classe média)

A Maternidade que você consome
[esse texto não é uma intenção de julgar ou atacar ninguém, é só uma caricatura]

Custa 450 reais um exame pra saber o sexo do bebê dois meses antes do que o ultrassom de rotina mostraria (o sexo do bebê não vai mudar ou sair correndo). Se paga pela ansiedade.
Enxoval feito em Miami (ou comprado novinho em qualquer loja) com direito a mil apetrechos, cacarecos e firulas inúteis. Convenceram-te que você será uma mãe melhor se tiver tudo isso. Convenceram-te que você será uma péssima mãe se não comprar tudo isso. Seu bebê precisa!

Quarto reformado, papel de parede de 200 reais. Berço americano, Mobile importado. Kit berço (não recomendado por pediatras) devidamente comprado, bordado a mão, cheio de laços: 600 reais. (poeira acumulada e risco de sufocamento pro bebê). Saída de maternidade, vermelha, claro! O pacote completo, caro!



Carrinho de marca, super trambolho, vira pra frente e pra trás, tração de offroad, encaixa o bebê conforto, capota conversível! 2 mil reais!
A melhor banheira, a babá eletrônica com câmera, aspirador nasal, capa de chuva pro carrinho, lixeira que disfarça o cheiro das fraldas (sim, existe!) kit higiene decorado personalizado, enfeite de porta encomendado, toda a parafernália de mamadeiras (até kit de esterilização!)

Encomendou pomada importada (à base de petróleo, mas todo mundo diz que é ótima), comprou mil remédios, termômetro de banheira modelo infantil e uma colônia para bebês, pra ficar cheiroso! E você até encomendou saquinhos para separar os conjuntinhos de roupa com a costureira. Jura que é super necessário!

O bebê que não anda tem sapatos, caros. Cadeirinha que balança sozinha. Até aquecedor de lenço umedecido você comprou (você não acreditou que algodão com água morna era melhor). Tudo para dar o melhor para o seu bebê.

A poltrona de amamentação foi devidamente comprada combinando com a decoração do quarto. (você não contava que ia se sentir solitária lá e ia preferir ficar acompanhada de outras pessoas no sofá da sala). Pagou curso pra aprender a dar banho e trocar fralda. Fez chá de bebê, chá revelação, chá recepção. Tirou fotos com sapatinhos na barriga, paetês, pai ajoelhado beijando sua barriga. Pacote completo!

Pagou o plano de saúde, fez questão de usar o plano de saúde (afinal está pagando né). Visitou o hospital e adorou os quartos, tudo confortável. Confiou no seu médico de convênio (ele estudou pra isso né). Pesquisou mais a fundo quando comprou sua televisão do que quando escolheu o médico que ia estar no dia mais importante da sua vida. Mas o convênio é seguro não é mesmo?! SUS de jeito nenhum! Pagar particular? “Imagina! Meu médico é um fofo!”

Falou com aquela sua amiga que já tem filhos, mas achou ela muito “radical”. Foi convidada pra frequentar uma roda de gestantes gratuita onde dizem teria muitas boas informações, mas é gratuita, deve ser ruim, deve ser coisa de bicho grilo, pro seu filho você só quer dar do melhor!

Comprou os livros de “adestramento” de bebês, aqueles da moda, como fazer o seu bebê entrar na rotina e não afetar sua vida! Entrou num grupo de gestantes no whatsap mas achou todas muito exageradas no pós parto, fazendo o maior drama, até parece que maternidade é complicado, você já está se preparando com tudo! Saiu do grupo...

A barriga cresce e você tenta ouvir o coração do bebê com aquele sonar que comprou lá no início. Complicado se conectar ao bebê assim né? Dependendo de um som, de um aparelho externo... É medo de olhar pra dentro, de sentir os movimentos, de confiar e acreditar no bebê que ali está? Às vezes é bom procurar terapia, maternidade é muita transformação. Olhar pra dentro é importante!

A barriga cresce e você compra creme especial pras estrias. A barriga cresce e o medo cresce junto, você não quer nem ouvir falar em parto, em puerpério... que gente chata! E se concentra nos últimos detalhes do seu bolo de fraldas para o chá...

38 semanas de gestação, ansiedade lá em cima. Doula? Nah... bobagem, cara...
Alívio quando seu médico dá qualquer desculpa pra agendar sua cesárea (é cômodo pra ele e pra todo o sistema, mas não é o mais seguro) -- o mais importante é conhecer seu bebê -- que venha com muita saúde! (o médico não informou que na cesárea o bebê corre 3x mais riscos do que no parto normal). Cesárea feita, sem necessidade. Bebê não estava pronto pra nascer, ficou ‘cansadinho’, mas “tudo bem”, só um diazinho na UTI. Você preferiu o hospital que tinha UTI ao que era adaptado ao parto humanizado, o importante é ter o melhor pro seu bebê não é mesmo?! (Melhor seria se não precisasse de UTI por causa de uma intervenção desnecessária).

Bebê recebeu alta, você nem se lembrou da saída de maternidade especial, era tão mais importante tê-lo nos braços não é mesmo!?
Como amamentar está sendo difícil, você achava que era só oferecer e pronto. Eu sei, dói, eu sei, chora... Procura uma consultora de amamentação, vai te ajudar! (Ah não? É caro? Poxa... podia resolver seus problemas.. custa menos que 1 mês de latas de fórmula). Bebê chora, você chora. Quem disse mesmo que RN dorme o tempo todo? Dorme, mas só no colo. Como era aquele negócio que sua amiga ‘bicho grilo’ usava? Sling né...

O quartinho todo enfeitado -- você só entra pra usar o trocador, mas daqui a pouco já está trocando em cima da sua cama mesmo. O berço? Virou depósito de roupas lavadas empilhadas esperando que alguém as passe. Você está cansada demais, decidiu manter o bebê com você na sua cama, só assim ele não chora, só assim, no colo, do seu lado, grudado na sua cama - 
ele quer se conectar com você!

O móbile importado que toca Mozart você jogou pela janela, seu bebê chora quando o vê, ele quer seu colo. O carrinho de bebê, dobrado na lavanderia, já faz um mês que o bebê nasceu e você nem usou, tem medo de sair de casa.
O pediatra (desatualizado) conta as gramas que seu bebê ganha toda semana, você se sente pressionada. Como amamentar é difícil. Aquela sua amiga que já teve filho te falou sobre consultora de amamentação, que salvou a amamentação dela, nunca mais doeu, o bebê cresceu que foi uma beleza! Mas agora você já está complementando com fórmula mesmo né, o pediatra mandou. 40 reais por semana...

Como era mesmo aquele grupo de mães onde se podia desabafar sobre como era difícil sem ser julgada?! Pede pra aquela sua amiga te colocar lá de volta!


Um dia você se dá conta. No próximo filho vai fazer diferente! Se dá conta que foi enganada pelo marketing (gestantes e mães são considerados o mais lucrativo publico alvo, compram tudo pela ideia de estar dando o melhor pro seu filho).

Um dia você se dá conta que seu médico te enganou e não priorizou nem sua saúde nem a do seu bebê, que aquele GO particular estava mais alinhado com boas práticas em medicina e ia te atender com mais ética. Se dá conta que aquela doula poderia ter te ajudado a ter tido uma boa experiência de nascimento! Que o sistema é cruel e que todas aquelas compras não te ajudaram a lidar melhor com o bebê quando ele nasceu.

A informação está disponível! Mais importante que o enxoval é você perceber que não está fazendo uma escolha quando não te deram a informação completa! No setor privado no Brasil 9 a cada 10 mulheres passam por cesarianas, 7 dessas poderiam ter sido evitadas! No Brasil mulheres procuram cesáreas por medo de partos violentos, mas o parto (bem assistido) não precisa ser um sofrimento!

No próximo filho você pode viver uma maternidade mais leve. Pode tentar dar mais chances à sua experiência de parto, à saúde do seu filho (que nasce melhor e mais pronto de parto normal se for possível). Pode se prevenir pra acertar com a amamentação, pode priorizar onde investir, e rever o que é realmente importante no fim das contas.
 
A oportunidade de nascimento que você dá ao seu filho e a si mesma, é um dia único na sua vida, que todos os anos você vai reviver e ressignificar. As coisas que você comprou, tão ‘essenciais’, seguem acumulando poeira.

Quando a gente segue olhando a maternidade como bem de consumo, a gente segue desconectada do bebê, desconectada de nós mesmas, alheias às nossas emoções mais profundas, não vivendo a maternidade, mas sendo CONSUMIDA por ela.

Dê uma chance a si mesma e ao seu bebê, repense, se informe, questione! Pense no seu plano de parto, reveja a equipe que vai te atender. Aprenda sobre as intervenções no parto, as intervenções feitas com o bebê, faça escolhas, aí sim, conscientes, informadas, SUAS! Estude sobre amamentação, não rejeite aquela amiga que quer te estender a mão por que sabe como pode ser difícil e não queria ver você chorar perdida.
Não transforme a maternidade em algo a ser consumido, mas numa linda e transformadora EXPERIÊNCIA de vida. Dar o melhor ao seu bebê não está no que você compra ou no plano de saúde que você paga, às vezes está em abrir mão dessas coisas, por outras!

Depois que o bebê nasce, são as impressões sutis e emocionais que ficarão marcadas em você, as impressões do nascimento, das primeiras semanas. Do amor e do cuidado. O resto perde a importância. 

 É claro que é gostoso o carinho com que a gente cuida de tudo e monta o ‘ninho’. É claro que algumas mulheres precisarão de intervenções médicas mais drásticas, cirurgias. Eu mesma precisei de uma cesariana! Algumas mulheres terão problemas reais com amamentação, precisarão de fórmula. Agradecemos à existência da cesárea, da fórmula, e até dos apetrechos que facilitam às vezes (nem sempre) nossa vida.

Esse texto não é para julgar as mães, ou trazer culpa. Mas para sacudir e dizer “olha tem outras coisas mais importantes!”

Se você se sentiu atingida, olhe pra dentro, e se perdoe no que você sentiu que errou, e tente novamente, e siga em frente. Vai ficar tudo bem!

A maioria das mulheres sofre cesarianas no Brasil não por que “escolheram”, mas foram induzidas a pensar assim, por quem deveriam poder confiar, e pela cultura que vivemos, pelo sistema falho de saúde que temos, por medo, por desinformação...

Sou a favor de livre escolha, mas só há escolha quando há acesso real à informação fidedigna e clara sobre todas as nuances de nossas escolhas, sem isso estamos apenas sendo levadas...

Quando aquela sua amiga te convidar pra uma roda de gestantes, sugerir um documentário, um vídeo, um livro, saiba que ela só está querendo com carinho te estender a mão, pois ela sabe com o é ‘punk’ passar por tudo isso, e ela sabe como pode ser diferente!

Viva sua maternidade como achar melhor, mas saiba que há outras escolhas, e nem sempre o “melhor pro bebê” está em algo que você comprou...



To falando com carinho ;)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...