quinta-feira, 23 de outubro de 2014

O bebê estranha e só quer saber da mãe

Bebês choram, e o choro é sempre uma forma de comunicação. Cabe a nós nos esforçarmos para compreender, pois bebês merecem que a gente tente compreender o que eles nos pedem, pois dependem de nós (sim, aceite, bebês dependem). O bebê, quanto mais novo, mais precisa da mãe. Ele vive uma relação simbiótica com a mãe, grudado mesmo. Nos primeiros meses ele sequer vai compreender que ele é separado da mãe, dizem os estudiosos que na cabecinha dele é tudo a mesma coisa, mãe, colo, peito, ele chora e ali ela está, querer que ele seja ‘independente’ ou acostume a não ser atendido pra ficar sozinho, é simplesmente um ato de crueldade, bebês precisam da mãe.



Bebês não fazem birra, se ele chora é por que está pedindo alguma coisa, está com algum desconforto, precisa de algo ou alguém. Imagine se eu estivesse com fome, desconfortável, angustiada ou com medo, e pedisse ajuda e ninguém me atendesse, isso não me deixaria mais segura, pelo contrário, ficaria cada vez mais assustada. Atender um bebê que chora o ajuda a desenvolver segurança para dar o passo seguinte.

Em torno dos três meses o bebê começa a enxergar melhor, e ele tem um salto de desenvolvimento, isso gera uma certa “crise” nele. De repente ele começa a perceber que ele e a mãe não são a mesma coisa, que a mãe se aproxima e se afasta. Ele não entende que logo ela vai voltar, ele não tem como raciocinar que ela está ali na cozinha, ou que aquela outra pessoa que o carrega vai devolvê-lo pra mãe logo logo. Então o bebê chora. Ele começa a entender que depende da mãe pra sobreviver, que é ela que o alimenta, o ajuda a dormir, o acalenta, o higieniza. Então ele aprende a chamá-la.

Se afastar da mãe gera angústia, ele não sabe que o berço dele é seguro e está em um quarto e a mãe está bem ali na sala, ele não sabe que não vai entrar um tigre ali e comê-lo. Sim, um tigre, o bebê é um serzinho primitivo que ainda não tem o neocórtex (cérebro racional) desenvolvido, por isso da mesma forma que ele não faz birra pois é incapaz de elaborar qualquer tipo de manipulação, ele também não entende o mundo em que vive e não raciocina onde está e como está, ele é instintivo, e se um bebê no tempo das cavernas corria risco de vida se deixado sozinho, o nosso bebê tem o mesmo instinto internalizado nele; para ele estar longe da mãe é estar em risco, e por isso ele chora, é assim que temos sobrevivido. Não se trata de “acostumar mal”, se trata de respeitar a fase de desenvolvimento que ele se encontra, aceitar que no momento é o que ele precisa pra se acalmar, e compreender que é uma fase e logo, aos poucos, ele vai entendendo melhor o mundo, as pessoas, as relações, e vai criando confiança, e se acostumando com outras pessoas e outros colos. Atender meu bebê é respeitar os sentimentos dele, não atender pra forçar que acostume de outra forma, é cruel.

Em torno dos três meses o bebê dá um salto cognitivo, ele começa a ter seus sentidos mais desenvolvidos, e se antes ele não diferenciava muito de quem era o colo em que ele estava, agora ele começa a diferenciar. Por isso um bebê novinho vai fácil no colo de qualquer um, e de repente um dia começa a estranhar. Ele não está dizendo que não gosta mais de você que o carrega, ele não está dizendo que você está fazendo algo errado, ele está apenas chamando a mãe, pois percebeu a importância dela e sente medo. Não é que você seja assustadora (você - tia, amiga, avó...) é que o bebê está um pouco inseguro com essas novas capacidades de percepção dele, não é nada pessoal com você. Não adianta forçar a aceitar o colo de outra pessoa, não adianta querer que ele aceite a qualquer custo, se aproxime com calma, conquiste a confiança, não force. Essa aceitação dos outros vem com o amadurecimento, com o tempo. E ele vai passar por essas crises em outros momentos também (como em torno dos oito meses), se chama ansiedade da separação, é uma demonstração saudável de desenvolvimento, tenha paciência com ele.

Imagine uma pessoa que tem pavor de mar, o que é mais eficaz em ajuda-la: deixar que molhe os pés no mar, no raso, e se afaste sempre que precisar, sempre que sentir medo, sendo incentivada carinhosamente a tentar de novo,... ou leva-la pra alto mar e joga-la na água? Deixar um bebê chorando no colo de alguém só pra ele acostumar, não vai torna-lo mais tranquilo. Se a mãe atende quando ele chora, aos poucos ele percebe que pode criar coragem e experimentar, tentar ficar mais um pouco, pois ele sabe que assim que sentir medo ele pode chamar e ser atendido.

É uma fase, passa, logo o bebê vai entender melhor o mundo, conhecer e lembrar melhor das pessoas (lembrem,bebês tem memória de lagartixa rsrs), e vai aprender a apreciar outras companhias. Não se sinta rejeitada se um bebê te estranhar e pedir pela mãe, ele está apenas fazendo uma “bebezice”. E não culpe a mãe criticando como ela o cria, pois amor e transmissão de segurança não estragam bebês. Lembre que o bebê é uma pessoa, não um objeto, respeite o direito que ele tem de não querer ser pego por um desconhecido, ou por alguém que ele conhece pouco, mesmo que você seja um familiar. Ele não é obrigado a aceitar as pessoas por causa de normas sociais. Hoje a mãe é o mundo dele, logo haverá mais espaço para outros mundos no universo do bebê. 

23 comentários:

  1. Muito bom o texto, estou passando essa fase de estranhar as pessoas com meu bb de 4 meses e é muito difícil principalmente porque ele está estranhando minha família ( vó, vôlei e tias) existe alguma coisa que eu possa fazer pra que essa fase passe logo? Isso está gerando muita cobrança o conta da família não entendera que é somente uma fase :(

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o texto, estou passando essa fase de estranhar as pessoas com meu bb de 4 meses e é muito difícil principalmente porque ele está estranhando minha família ( vó, vôlei e tias) existe alguma coisa que eu possa fazer pra que essa fase passe logo? Isso está gerando muita cobrança o conta da família não entendera que é somente uma fase :(

    ResponderExcluir
  3. Amei😊😊😊 eu e minha filha com tres meses.

    ResponderExcluir
  4. Amei😊😊😊 eu e minha filha com tres meses.

    ResponderExcluir
  5. Tbm estou assim. Minha bebê de 6 meses só quer eu... sei que é uma fase e logo vai passar... amo ser mãe .

    ResponderExcluir
  6. Torço muito pro meu bebê agir da mesma forma. Confesso que não gosto que peguem ele. Seja um estranho, conhecido, amigo ou familiar. Sou bem neurótica em questão de saúde, e acho as pessoas muito sem noção quando se trata de um recém nascido. Pra tudo usam o mesmo argumento: "nossa,mas eu fazia isso com meu filho e tá vivo até hoje". Sério, me dá agonia quando marcam visita em peso pra ver meu pequeno. Amei o texto. Pena que nunca entendem a indireta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Stephany, me identifiquei com seu comentário. Minha pequena está com 3 meses e não aceita nem que cheguem perto dela. gera um desconforto na família e uma cobrança do tipo: Ah você não sai com ela.. ah vc só acostuma ela com vc... etc. Honestamente eu gosto de sentir que ela tem necessidade de mim, sou a mãe e sou como você, ou até pior.. porque além de neurótica eu sou ciumentíssima. As pessoas deveriam se tocar que forçar faz mal ao recém nascido e também a mãe que sofre muito com essa invasão. Beijos!

      Excluir
    2. Oi Stephany, me identifiquei com seu comentário. Minha pequena está com 3 meses e não aceita nem que cheguem perto dela. gera um desconforto na família e uma cobrança do tipo: Ah você não sai com ela.. ah vc só acostuma ela com vc... etc. Honestamente eu gosto de sentir que ela tem necessidade de mim, sou a mãe e sou como você, ou até pior.. porque além de neurótica eu sou ciumentíssima. As pessoas deveriam se tocar que forçar faz mal ao recém nascido e também a mãe que sofre muito com essa invasão. Beijos!

      Excluir
    3. Stephany, Eu estudei muitos comportamentos diversos de Bebes, chegando a concomitante conclusão, que quando agimos com excesso de proteção ao ponto de evitar que as pessoas aproximam do bebe, isto pode causar futuramente uma desassociação da criança num estágio maior de desenvoltura. Isto não é razoável para criança. Você deve ter se deparado com criança de 3 anos em diante, um pouco retraída em lugares públicos do tipo shopping, parques, festinha ou coisa parecida. Esta retração pode comprometer a adolescência e até a juventude desta criança, tudo por causa deste excesso de proteção que muitas mães agem com os seus bebes. E bom mesmo que seja Difícil, seu bebe relacionar mais com as pessoas. Ele vai começar a entender deste novinho, a coisa mais importante que é a sociedade e sua diferentes formas. Minha irmã agia igualzinho a você, com o meu sobrinho que era o primeiro filho dela, evitava deixar as pessoas aproximarem dele, até os da própria família! Já no 2º filho foi totalmente diferente, conclusão! o mais novo hoje com 18 anos, é muito sistemático, radical e incomunicativo, já o 2º filho com 14 anos é extrovertido, comunicativo e totalmente associável. Entretanto devemos rever nossos conceitos concernentes a estes assuntos.

      Excluir
    4. Resumo do comentário: "Fulano fez assim e está vivo até hoje!".

      Excluir
  7. Muito bom o texto!
    Minha bebê começou a estranhar pouco antes dos 3 meses. Tem muita gente sem noção mesmo, inclusive da família, que não respeita, diz que a bebê é "marrenta", cheia de manha, "ah... é porque puxou ao pai", "ah... é porque puxou à mãe", e que é "matuta" porque não pode ver gente diferente que quer chorar, "precisa sair mais de casa", e o engraçado de tudo isso é que as pessoas que visitam se sentem dona da razão, vivem dando palpites sem serem convidadas a isso. Aff... tô de saco cheio.

    ResponderExcluir
  8. Estou vivendo está fase! Minha bebê de 6 meses não vai com ninguém. E convive com muita gente vê pessoas diferentes o tempo todo mais se pegar mundo ''desaba'' chora de soluçar ela fica melhor no carrinho do que no colo de outras pessoas. Minha filha passa a maior parte do tempo no carrinho e riso ia e :'conversa:' com as pessoas de longe só não gosta que pegue.
    Chora muito e só acalma quando eu pego.

    ResponderExcluir
  9. Estou vivendo está fase! Minha bebê de 6 meses não vai com ninguém. E convive com muita gente vê pessoas diferentes o tempo todo mais se pegar mundo ''desaba'' chora de soluçar ela fica melhor no carrinho do que no colo de outras pessoas. Minha filha passa a maior parte do tempo no carrinho e riso ia e :'conversa:' com as pessoas de longe só não gosta que pegue.
    Chora muito e só acalma quando eu pego.

    ResponderExcluir
  10. Texto simplesmente perfeito, acho que vou imprimi-lo e distribuir para algumas pessoas hahaha

    ResponderExcluir
  11. Meu bebê é totalmente oposta. . Ela tem 8 meses e vai no colo de todo mundo.. Confesso fico chateada com o fato dela se ir com outras pessas, pois as vezes ela está no meu colo e pede para ir com outra pessoa.. ultimamente me sinto uma péssima mãe pois minha filha parece que não gosta de mim.. alguem tem um conselho??

    ResponderExcluir
  12. Muito interessante essa informação, ajuda muito as mães de primeira viagem!

    ResponderExcluir
  13. Relata o que estou passando,amei o texto.

    ResponderExcluir
  14. Nossa estou passando por isso com minha filha desde que nasceu chorava muito hoje tem . 4 meses e continua igual nao vai no colo de ninguem nem dos meus familiares chora ate perder o folego se pegar.... O problema e que querem pegar a forca fico chateada pois ela ate comeca a solucar de tanto que chora ..ai vou la e pego fora as criticas que se ela chora demais e minha culpa que nao saio muito com ela ou porque chorei muito na gravidez ja estou cansada deles.

    ResponderExcluir
  15. 😥😥😥Nunca chorei tanto em ler um artigo... Realmente é algo muito tocante que eu desconhecia... Agora entendo porque meu BB chora tanto no colo dos outros.. e eu deixava ele chorando pra se acostumar.. fiz crueldade com meu BB e nem sabia.. realmente fiquei mal em ler isso... Mas depois vi o bem que me fez... Agora sei oque meu BB sente... E saber a importância que tenho na vida dele ah isso sim não tem preço.. obrigada de verdade .Sou mais de primeira viagem...E hoje descobri que ser mãe é mais que só cuidar.. amar.. acalentar.. se mãe é algo milagroso é um elo ...Obrigada

    ResponderExcluir
  16. Minha filha vai completar 6 meses e ja estranha as pessoas. Sou mae solteira ela não pode nem ver o pai. Só choro.
    Ele vê pouco a cada 15 dias e não fica muito. É normal?

    ResponderExcluir
  17. amei o texto.minha bebê têm 2 meses e ja estranha.muita gente acha que é pq eu não saio com ela.

    ResponderExcluir
  18. Nossa, estou passando por isso também, meu bebê completou 3 meses e começou a estranhar com 2 meses e até comigo as vezes ele me olha e chora, nao entendo, pois fico muito triste, sou uma mãe tão cuidadosa carinhosa e converso e canto pra ele, mais ai ele me esrranhou também, me ajudem, não sei o que faço, será que ele não sente que sou mãe dele? Me ajudem por favor!

    ResponderExcluir
  19. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...